top of page
  • Foto do escritorAssessoria LogShare

O poder da logística colaborativa

Atualizado: 17 de nov. de 2023


A colaboração já vem transformando o modo como vivemos e enxergamos as relações econômicas. Essa, aliás, é uma tendência confirmada por uma pesquisa recente feita em 60 países pela Nielsen Company, revelando que duas em cada três pessoas estão dispostas a compartilhar ou alugar algo seu.


O mundo está vivendo um momento em que todos querem se sentir úteis e descobrir seus propósitos – e estes, "podem ser encontrados na colaboração”.


Jeremy Rifkin em seu último livro "A Sociedade do Custo Marginal Zero: A Internet das Coisas, os Bens Comuns Colaborativos e o Eclipse do Capitalismo" enfatiza a importância da colaboração e da criação de bens comuns, onde as pessoas compartilham recursos, informações e conhecimento livremente.


O autor acredita que a colaboração é a chave para o futuro da economia e que a noção de propriedade privada está cedendo espaço para uma abordagem mais compartilhada. Rifkin vê também a colaboração e a economia dos bens comuns como uma resposta aos desafios da escassez de recursos e da degradação ambiental.


O compartilhamento passa a ser tendência


A economia compartilhada vai crescer significativamente nos próximos anos à medida que a população global se torna cada vez mais interconectada. O consumo colaborativo e o compartilhamento de ativos se tornarão a norma e continuarão a transformar indústrias como transportes, imóveis, viagens e turismo e muitas outras.

Além de aproveitar bens materiais, a economia compartilhada também abraça a ideia de utilizar as experiências e habilidades dos indivíduos e de seus modelos de negócios. Isso significa que alguém com conhecimento em áreas específicas pode compartilhar suas experiências e expertise com outros indivíduos por meio de um site especializado, recebendo uma vantagem financeira em troca*. (*Amani Zaher, “The sharing economy opens up new prospects for growth.)


A economia compartilhada afeta o mercado competitivo de forma direta, uma vez que as atividades nesse setor aumentaram a oferta de produtos e serviços. Esse aumento na oferta, por sua vez, levou naturalmente a uma redução nos preços.

Você pode esperar um aumento na predisposição ao compartilhamento conforme mais indivíduos se conscientizem dos benefícios da economia compartilhada e da facilidade gerada por ferramentas inovadoras - plataformas que por meio de novas tecnologias, habilitam o acesso a bens e serviços, ïtens ociosos.


Os benefícios da colaboração B2B


A colaboração é uma conduta valiosa para empresas, não importando seu tamanho ou o setor em que atuam. Ela conecta organizações para resolver desafios e alcançar metas que seriam difíceis de se alcançar isoladamente.


Ao combinar esforços e conhecimentos entre diferentes organizações, todos os parceiros no ecossistema se tornam mais capazes de inovar, crescer e tornar-se mais competitivos. E é possível construir uma rede de tal maneira que as empresas se complementem sem arriscar sua participação de mercado ou propriedade intelectual. (Saiba mais sobre o mindset colaborativo).


A seguir, destacamos alguns pontos relacionados a colaborações bem-sucedidas entre organizações:


  • Melhoria na eficiência: Parcerias B2B conseguem aperfeiçoar os fluxos de trabalho ao permitir o compartilhamento de recursos e de conhecimento com seu parceiro. Isso ajuda a reduzir custos, otimizar operações, responder com mais agilidade a picos de demanda e fortalecer o desempenho.

  • Credibilidade aprimorada: Fazer parceria com uma empresa de boa reputação pode lapidar sua credibilidade e reputação no mercado. Isso facilita a atração de novos clientes e a consolidação de sua posição como líder em seu setor.

  • Ampliação do alcance: Ao estabelecer parcerias com outras empresas, você pode expandir seu alcance e ter acesso a novos clientes e mercados. Isso pode auxiliar na expansão de seu negócio e no aumento das vendas.

Dois caminhões posicionados nas docas para carregamento ou descarregamento de cargas
Modal rodoviário: o desafio de otimização de fretes

A logística colaborativa é o combustível que desempenha um papel fundamental na superação de desafios operacionais, especialmente no setor de transportes.


Ela não apenas amplia as possibilidades, mas também ajuda a otimizar a gestão de recursos, reduzir despesas operacionais e ainda participa diretamente do cumprimento dos compromissos por descarbonização.

 

O desafio de desconstruir a competitividade na logística


Segundo Nestor Felpi, diretor de logística com experiência em empresas como: Avon, Natura, Philips, Clorox, P&G e investidor advisor da LogShare: "a área de logística não deve ser terreno de competição entre embarcadores".


A colaboração pode assumir várias formas e sim, podemos construir uma rede de maneira que permita às empresas se complementarem sem arriscar sua participação de mercado ou propriedade intelectual.


Uma execução compartilhada se limita a busca por performance e eficiência. Calibrando a visão coletiva de melhor atender às necessidades de seus clientes, gerenciar os riscos, aumentar a eficiência e também, aperfeiçoar a produtividade.


Aprender a diferença entre uma competição saudável e os benefícios de recursos compartilhados pode ajudar a expandir o seu negócio de forma exponencial. Quanto mais cada empresa puder contar com os recursos da outra, menores serão seus custos operacionais.


No entanto, é importante considerar e selecionar cuidadosamente os parceiros B2B certos com base na expertise da indústria, valores compartilhados e alinhamento de público-alvo.


A seguir, vamos dar um pouco mais de ênfase em dois pontos que frequentemente causam atritos e resistência em uma relação de compartilhamento de recursos e ativos. É importante compreender esses desafios para transcendê-los rumo a parcerias bem-sucedidas e duradouras.


Pouca confiança entre empresas


A confiança é o pilar essencial de parcerias sólidas. Para construir e fortalecer essa confiança, é fundamental criar um ambiente onde os compromissos são cumpridos, as promessas são mantidas e a confiabilidade é uma constante. Para alcançar isso:

  • Respeite a confidencialidade e proteja a propriedade intelectual de seus parceiros.

  • Reconheça e valorize a expertise, contribuições e perspectivas que seus parceiros trazem para a colaboração.

  • Dedique-se ativamente à construção de relacionamentos, tanto em nível individual quanto organizacional. Isso inclui investir tempo para entender os valores, estilos de trabalho e nuances culturais uns dos outros.

Cultivar essa confiança mútua e respeito, solidifica a base da parceria, aprimora a colaboração e promove um ambiente de trabalho harmonioso, onde todos conseguem prosperar.


Incompatibilidade de sistemas

Enfrentar dificuldades de integração é uma das complexidades que podem surgir no âmbito das parcerias B2B. Quando se trata de unir processos, dados e principalmente sistemas que funcionam de maneira distinta, isso pode se tornar um desafio significativo, consumindo tempo e recursos consideráveis.


Um dos principais obstáculos na integração B2B reside na ausência de padronização dentro da indústria. Cada empresa opera com seus próprios sistemas, processos e formatos de dados exclusivos, o que cria uma barreira entre as partes interessadas.


As empresas se veem incapazes de lidar com diferentes formatos de dados e protocolos de maneira cooperativa, o que afeta negativamente sua capacidade de firmar parcerias eficazes, pois a operação conjunta se torna mais complicada e sujeita a erros pelo excesso de intervenção manual.


Portanto, adotar a tecnologia adequada, promover uma comunicação eficiente e direcionar esforços para a gestão de dados e segurança são os fundamentos essenciais para vencer os desafios da integração B2B, resultando em uma colaboração aprimorada e maior eficiência no processo.

 


Adotando um agente de convergência


Via de regra, as organizações possuem uma ferramenta para a captura de dados, outra para limpeza e preparação, e mais uma para visualização. Essa fragmentação de ferramentas e processos (muitas vezes manuais) pode resultar em ineficiências, falta de integração e dificuldades na obtenção de insights valiosos a partir dos dados. Isso dificulta a colaboração na medida que se tem de lidar com diferentes formatos de dados e diferentes planilhas conforme o que já foi mencionado anteriormente.


Portanto, adotar uma plataforma inovadora baseada em SaaS que simplifique e traduza diferentes linguagens computacionais se torna a manobra assertiva para se atingir a tão desejada transformação digital e a sinergia entre companhias.

A imagem exibe uma composição com algumas telas da plataforma LogShare
LogShare é a 1ª plataforma de logística colaborativa da América Latina

A plataforma LogShare está perfeitamente alinhada com todas essas aspirações de inovações tecnológicas.

Por meio dela, os agentes logísticos têm uma visão completa de toda a operação de transporte de cargas, desde o agendamento do frete até a entrega final.

Para fortalecer mais essa proposta, nosso sistema dispõe de interfaces contendo indicadores-chaves de eficiência, produtividade e sustentabilidade. Eles se entrelaçam para fornecer relatórios e painéis informativos atendendo às necessidades de todos os agentes envolvidos na operação.


A proposta de valor da LogShare baseia-se na logística colaborativa genuína e é fácil de comunicar: conectar embarcadores e transportadoras interessados em compartilhar a capacidade ociosa de seus veículos de transporte, aproveitando sua disponibilidade nas rotas em que estão com retornos vazios. (Saiba mais sobre o Backhaul Logístico)

A imagem exibe um aperto de mãos entre duas pessoas
Fomentamos a colaboração genuína

É exatamente essa a logística colaborativa que anunciamos. Um elo conector entre vantagem competitiva, produtividade e sustentabilidade.


Esses pilares já são uma realidade na cultura de empresas com uma agenda sólida de responsabilidade social e governança corporativa (ESG).

 

Conclusão sobre a logística colaborativa


Ao colaborar com parceiros de mentalidade semelhante, as empresas podem criar relacionamentos em que todos saem ganhando. Uma vitória de três ganhadores: o embarcador A, o embarcador B e a Transportadora.


Por meio de um planejamento e coordenação conjuntos, os novos parceiros podem eliminar ociosidades, melhorar a gestão da cadeia de suprimentos e aprimorar a eficiência operacional.


A colaboração logística entre agentes genuinamente dispostos a adotar práticas compartilhadas é o sinal verde para gerar um impacto positivo em toda a cadeia de suprimentos, o que inclui também, favorecer o cumprimento dos compromissos relacionados a redução de emissões de gases efeito estufa.

E como um protagonista da logística, você tem a oportunidade de liderar essa mudança e tornar essa visão uma realidade. Juntos, podemos transformar nossa indústria e contribuir para um futuro mais produtivo e sustentável.

 

📲 Entre em contato conosco aqui para você conhecer a solução LogShare. Ou escreva para thiago@logshare.com.br | WhatsApp: (21) 99385-4245 (Thiago da Mata)


Comments


bottom of page